5 de maio de 2013

Hetaera


Hetaera é um projecto final de Licenciatura na Universidade da Beira Interior, que resultará numa curta- metragem realizada por Diogo Carvalho e Diogo Pinhal, com o apoio do ICA. Os estudantes reuniram uma equipa, da qual tive o prazer de fazer parte, para tornar a história de Matilda real. Os actores convidados que prontamente aceitaram este desafio académico foram Mané Ribeiro, Joana Hilário e Pedro Caeiro.

Em baixo deixo algumas imagens de backstage com promessa de que em breve sairão mais notícias!





Escolhas de Vanessa Monteiro | In Time

A escolha de Vanessa Monteiro, estudante de Branding de Moda, recaíu sob o filme In Time de Andrew Niccol. Com Justin Timberlake e Amanda Seyfried nos principais papéis, o filme de 2011 não estava nos palnos nem desejos de Vanessa, que no fim da noite de cinema ficou obcecada com as mensagens que o filme tenta passar.



Para ela não se trata de apenas uma história de amor, é um filme de ação que marca claramente a posição do realizador em mostrar o fosso que existe entre as classes alta e a baixa. Mostra as diferenças entre os que através dos seus recursos obtém a eternidade e os que não têm esses recursos, contentando- se a uma vida miserável, impossível de prever. A mensagem passa pela transformação do dinheiro em tempo, que é a chave da juventude.  Algo que a estudante também achou interessante foram as cenas que incluiam algum tipo de ironia, tarzendo humor q. b. sem tornar o filme numa sátira. 


Em relação às personagens principais considerou o casting  uma boa escolha, não se deixando levar pelo preconceito de Justin Timberlake ser originalemente um músico e colocando no seu talento a responsabilidade de não o ter associado ao meio musical. Quanto a Amanda Seyfried pareceu enquadrar- se bem na personagem fria e despreocupada.

Para Vanessa trata- se de um filme que vale a pena ver pois é o reflexo de uma luta contra o sistema, um tema que tem sido bastante recorrente nos últimos tempos.

Rabbit Hole

A película de 2010, realizada por John Cameron Mitchell retrata a vida de um casal (Nicole Kidman e Aaron Eckhart) após a dolorosa morte do filho de quatro anos.

O cliché do reflexo do sonho americano numa vida a três é rapidamente desmoronado, fazendo com que Becca e Howie passem por dificuldades conjugais. Cada um tenta ultrapassar a dor de diferentes formas: enquanto Howie pretende continuar a sua vida em frente, ajudando a mulher e a si mesmo com terapia de grupo, Becca menospreza as tentativas do marido e prefere esquecer o passado perdoando o autor do acidente que lhe levou o filho.

A mulher vive muito atormentada num dia-a-dia amargo que a leva ao encontro de algum reconforto ao lado do jovem Jason (Miles Teller), culpado pela morte de Danny. A culpa do jovem levou-o a criar uma banda desenhada algo autobiográfica chamada Rabbit Hole e a dá-la de presente a Becca.




Tudo no filme vive de uma grande objectividade, algo que me costuma agradar. Porém, falta vivacidade nas personagens centrais que se mantém apáticas durante 90 minutos. Embora Nicole tenha sido nomeada ao OSCAR de melhor actriz, a sua actuação fica muito aquém do papel que a levou à vitória em The Hours.

O meu núcleo de actores preferido foi, sem dúvida, a família pouco convencional de Becca, que ao contrário dela tem tudo menos um comportamento politicamente correcto. Este factor também possibilita chegarmos a um conhecimento mais profundo da personagem de Kidman.