24 de junho de 2011

L'aubergue Espagnole

A película datada de 2002, de Cédric Klapisch, retrata a minha fase de vida presente, como tal decidi relembrá-la por aqui.






Confesso não ser fã desta comédia-dramática e até mesmo ter considerado, na altura em que a vi, um pouco vazia de conteúdo. Por agora revejo-me nas descobertas de Xavier, Romain Duris, que parte através do programa Erasmus, de Paris para Barcelona, em busca de um nível académico superior que lhe permita alcançar o emprego de "sonho" no mundo da economia.






Xavier, após viver com um casal que conheceu no aeroporto,encontra uma residência de jovens, na qual se presencia uma grande mistura cultural. Aqui, cada um vive à sua maneira e celebra-se a diversidade, a internacionalidade, as novidades do quotidiano numa nova cidade, as experiências e mudanças. Tudo isto nos é mostrado sem se vincarem os estereótipos de cada nacionalidade, o que é um dos pontos fortes do filme. Fala-se de uma analogia das personagens aos seus países, mostrando-se como pode ser simples viver-se em comunhão, Klapisch faz assim uma forte crítica política através destes jovens que vão para lá das simples personagens-tipo.




Um ponto contra é a, demasiado, curta participação de Audrey Tautou, de quem aprecio muito o trabalho, e que aqui desempenha o papel de namorada de Xavier, Martine. É no sector amoroso que o jovem tem mais problemas, pois deixa Martine no país natal, continuando a relação à distância, mas ele próprio vai ficando cada vez mais distante dela, caindo em tentações.


Na verdade o filme deixa-nos em aberto, sem rede, por esperarmos mais e nos serem mostradas cenas cruas e sem os acessórios romanescos que muitas vezes são inseridos nesta tipologia de filme. Mas fazendo uma retrospectiva aos meus últimos três anos de faculdade, é assim mesmo na vida real, o que imaginamos nunca se passa como o fizémos; os pequenos dramas do dia-a-dia são sempre superados e muitas vezes esquecidos, pois novas aventuras se vivem.


Pequeno destaque para a banda-sonora, com Radiohead, Daft Punk e Chopin.

Sem comentários:

Enviar um comentário