2 de novembro de 2015

Se Tu Visses O Que Eu Vi | Outubro



Steel Magnolias é um drama mascarado de comédia: quem começa a vê-lo ao acaso pensa que vai usufruir de algumas gargalhadas. Com a querida Dolly Parton, mostra-nos um grupo de mulheres, muito diferentes, que se apoiam e são a companhia e confidentes umas das outras. O foco recai em Shelby (Julia Roberts) e no facto desta sofrer de um caso grave de diabetes. Nunca pensei que Roberst tivesse sido indicada para Melhor Actriz Secundária, mas a verdade é que aqui, ainda bastante jovem, não mostra ter os tiques e trejeitos interpretativos dos dias de hoje. Gosto dela mas apercebo-me desses detalhes que baralham personagens. 
6*/10*

The Life Aquatic with Steve Zissou não é dos meus favoritos de Wes Anderson mas tem o Bill Murray no papel principal e isso ajuda muito! Para complementar temos também um Seu Jorge lindo e a fazer shows ao vivo ao longo do filme. As premissas são as do costume: uma aventura que se vai desenrolando enquanto se debatem temas familiares onde o pai é sempre um elemento ausente que tenta redimir-se. Desta vez o cenário é o meio náutico.
6*/10*


Deve ser das raras vezes em que o título em português é mais giro que o original: Divertida-Mente! É isso que Inside Out é.. até certo ponto. Quando a história se adensa, como em todas as aventuras, permite-nos desfrutar da tradicional resolução de um problema. Mas o problema demora e demora a ser resolvido, o que para nós, espectadores sem poderes mágicos de entrar ecrã dentro e dar uma mãozinha, é desgastante. No entanto adorei o filme: a história, as personagens, a animação, as vozes... e principalmente perceber um pouco mais do nosso cérebro, mesmo que de uma maneira tão leve e lúdica. Excelente para crianças!
9*/10*

Muitas expectativas foram criadas em torno de  Scream Queens. A série tinha como iscos a talentosa Emma Roberts, a carismática Lea Michelle, a experiente Jamie Lee Curtis, a pop Ariana Grande e a, um dia, promissora Abigail Breslin. A trama desenrolava-se no campus de uma faculdade, com foco nos homicídios ocorridos na fraternidade Kappa Kappa Tau. O resultado é uma mistura de Pretty Little Liars, Gossip Girl e Scary Movie. O que ainda vai salvando esta série é a imagem e a preocupação estética com o décor e guarda-roupa e o perfil de Chanel Oberlin (Roberts) que promete tornar-se memorável.  (Quando falo que Abigail Breslin já foi mais promissora refiro-me a Little Miss Sunshine, um dos meus filmes favoritos, onde fez um papel brilhante! Passados nove anos vemo-la apagada e baça em termos de desempenho e com uma imagem muito fraca. E não, a culpa não é da personagem...)
5*/10*

Intouchables passou ao meu top de favoritos! Omar Sy passou a ser o meu queridinho actor francês (au revoir Louis Garrel!)! Sempre ouvi dizer tão bem do filme que mal vi a publicidade que iria estrear na SIC fiquei desejosa por uma tarde de sofá. É raro as televisões nacionais acertarem assim num filme e colocarem-no numa tarde de fim-de-semana em vez de optarem pela grelha da noite. A obra da dupla Olivier Nakache e Eric Toledano retrata uma amizade improvável (como o título em português) entre um aristocrata e um deliquente. Os minutos levam-nos aos extremos das emoções, da tristeza à gargalhada, mas tudo tão bem misturado que o tempo voa. No fim ficamos com uma sensação de felicidade tão grande, como se também tivéssemos feito parte do staff de Philippe (François Cluzet).
9*/10*

The Lovely Bones foi realizado por Peter Jackson, em 2009, numa adaptação ao romance homónimo. Tudo começa com a narração de Susie (Saoirse Ronan) acerca do seu quotidiano e da sua família. Descobrimos pouco depois que nos fala do purgatório, onde vai observando os seus e também o homem que a matou (a fazer um excelente papel, Stanley Tucci). É um drama com toques fantasiosos que permitem aligeirar a terrível história.
6*/10*

Sem comentários:

Enviar um comentário