27 de janeiro de 2015

Broad City

Descobri Broad City há uma semana quando li o recap de Girls no Manrepeller. Na secção de comentários muitas leitoras comparavam as duas séries, ou melhor, diziam preferir Broad City. Fiquei intrigada, se adoro Girls e se há algo dentro do género, mas em melhor, tenho de ver!

Foi o que fiz e concluí que não há muita legitimidade na comparação. Se sinto que Girls não cabe na secção comédia, que talvez se acomode melhor em drama, Broad City é para rir, definitivamente. Os paralelismos só podem ser feitos até aqui: New York, raparigas na casa dos vinte anos a tentarem figure out as suas vidas e as criadoras a assumirem os papéis principais. De resto, nenhuma outra comparação se aplica.


Ilana Glazer e Abbi Jacobson são comediantes e começaram esta aventura no formato web. O ano passado a série passou a fazer parte do canal Comedy Central, produzida por Amy Poehler. Foi renovada para a segunda e, agora para a terceira temporada!

Spoiler alert!
Abbi e Ilana desempenham papéis com base na sua própria personalidade e a partir daí constroem as extravagâncias de duas melhores amigas, sempre prontas para se entreajudarem sem olharem a meios. São personagens exageradas e ainda assim míudas comuns, normais, sem pretensões. Não fazem grande drama quanto ao estado profissional e pessoal em que se encontram, vivem um dia de cada vez e lidam com as consequências mais mirabolantes das suas decisões. São vinte minutos quase sempre de struggle para percebermos como se vão safar desta (sim, sabemos sempre que se safam!) e em que não paramos de dar gargalhadas.

Vi os 12 episódios existentes e mal posso esperar para ver o próximo. Os meus destaques até aqui:
- A cena em North Brother Island. 
- A referência a Friends num dos episódios.
- Bed, Bath & Beyond ser uma loja de culto para a Abbi, faz-me lembrar Rachel e Ross com Pottery Barn.
- Nature's Pocket.
- A roupa interior da Ilana, constituído por soutiens intricados e nada por baixo.
- A cena da compra do vestido azul da Abbi para uma festa e o facto de o ter utilizado também no seu 26º aniversário. Tão queridas a serem normais e a repetirem peças de roupa! Este episódio é, em especial, uma ode à verdadeira amizade feminina, sem julgamentos, sem invejas, só partilha e protecção. E Amy Pohler  aparece como chef, o que para mim simboliza a veracidade deste apoio entre mulheres.
- As coisas nojentas que o Bevers faz e as repercussões que têm na vida da Abbi. No segundo episódio pensei que a namorada dele nunca iria aparecer e  até agora o máximo que vimos dela foi o quarto e umas fotos em que a cara está sempre tapada.
 - O trabalho de ilustração da Abbi para um anúncio de televisão. A actriz é artista plástica e faz várias ilustrações para a série, incluindo as intros que são lindas!
- O tarado-bebé.
- Seth Rogen faz uma participação e a cena do gatinho é hilariante.
- Ilana inspirar-se no instagram da Rihanna.
- JAIME!

Terminando como comecei... O que mais distingue Broad City e Girls são as diferentes formas de amizade (ambas reais). Na série de Lena Dunham parece existir sempre um egocentrismo por parte de cada uma das personagens, que acabam por compor os episódios com amostras das suas vidas em separado. Por outro lado Broad City é bilateralidade e trabalho de equipa a 100%.

E a pergunta que mais se tem feito pela Internet: Quando vemos esta série nomeada para Emmys?

Sem comentários:

Enviar um comentário