8 de agosto de 2011

The Imaginarium of Doctor Parnassus

Realizado e escrito por Terry Gilliam, este é um conto de fantasia que mostra Doutor Pranassus, Christopher Plummer, e a sua trupe em constante apresentação do seu espectáculo por terras de Inglaterra, no qual o público entra num espelho mágico. Um mundo onírico que mexe com a imaginação alheia está assim à disposição de qualquer cliente.


Estas viagens concedidas por Pranassus só são possíveis devido ao antigo pacto que fez com o Diabo, Tom Waits. O prazo deste pacto está prestes a terminar e o pagamento é a alma de Valentina, Lily Cole, filha de Parnassus. A única solução é encontrar cinco almas para fazer a troca. Heath Ledger aparece como Anthony Shepherd, um vigarista com dívidas para pagar, que se junta ao grupo para salvar Valentina.


Durante as filmagens desta produção Heath Ledger faleceu, tendo apenas gravado um terço das suas cenas. Desta feita, a solução para dar continuidade ao filme foi contratar Jude Law, Johnny Depp e Colin Farrell, que fariam as cenas de Anthony nos universos paralelos, alegando uma metamorfose do aspecto do personagem conforme as imaginações alheias. Os actores, amigos do malogrado Ledger, não receberam pagamento pelo filme, concedendo esse montante à filha do amigo. O filme foi apresentado como: Um Filme de Heath Ledger e dos Seus Amigos em 2009.



Nesta história fantástica todas as cenas são uma viagem a dimensões ocultas e maravilhosamente ricas em termos sensoriais. Consequência do efeitos especiais, que reproduzem mundos e personagens extraordinárias, agradando ao mais vasto público. A trama é densa, polvinhada de cenas dramáticas, de acção e comédia onde se faz uma ode à vida e ao pensamento.

Nas cenas de comédia destaco Farrell, que com aquele toque patusco que lhe é caricato, torna cada deixa soberba, a par de Waits, cujo vilão é a cereja no topo do bolo. Na verdade é difícil analisar e escolher cena a cena qual a mais interessante, visto existirem dentro da história ramificações para mais narrativas.

Sem comentários:

Enviar um comentário